ATIVIDADES ANTERIORES 

5 OUT | CÔNCAVO E CONVERSO por Edson Françozo

Côncavo & Converso- por Edson Françozo

Resultado das visitas e intervenções no atelier de seu amigo, o artista Afrânio Montemurro, Edson Françozo experimenta diferentes modalidades artísticas contemporâneas, sobretudo a fotografia, articuladas e fomentadas no contato dessa convivência. Diferentes séries são apresentadas: as polaroides que se revelam pinholes, o jogo de dados que desafia os espectadores, a artesania das mãos, o salto dos mergulhadores e o espelho que mascara e revela.
O artista transita despretensiosamente no uso de diferentes suportes que se estruturam em coerência com o aparente recorte conceitual que projeta. Aparente porque a ativação sensorial que sugere em suas obras extrapolam as possíveis limitações de uma abordagem superficial para acentuar uma vitalista interpretação; cheia de momentos de calculada intensidade. Intensidade esta que se manifesta numa cristalina forma de abordar a realidade do agora a partir da invasão reversiva ao território do outro.

Com curadoria de Andrés Hernández, a exposição tem abertura em 5.10 |19h

Bio

Linguista de formação, tem na fotografia o espaço para investigar outros domínios de significação. Estudou fotografia com Fábio Fantazzini e com Emidiio Luisi, participando do Grupo de Estudos da Fotograma em São Paulo. Realizou mostra individual na antiga Galeria Primavera e no EspaçoAnma, com fotos e encáustica, e exposição sobre o ateliê de Afrânio Montemurro na Galeria da Assessoria de Apoio a Eventos da Unicamp. Deu aulas de fotografia digital na Fotograma e para associados da Adunicamp.

 

Imagens: Camilla Torres

 

21 SET a 29 SET | LABORATÓRIO DE AÇÕES INTERMITENTES

O ATAL 609- lugar de investigações artísticas abre ao público | dia 21 de setembro | o “Laboratório de Ações Intermitentes, exposição coletiva dos artistas: Alexia Miranda (El Salvador), Anderson Kaltner (Brasil), Francisco Huguet (El Salvador) e PauloZ (Brasil). Os artistas intervém desde seus próprios discursos e cruzam projetos no espaço físico por entre vídeos, instalações sonoras e vídeo-performance. Estarão presentes os trabalhos:

“Reflexiones sobre lo Irreversible”
Alexia Miranda

EUTERPE
Anderson Kaltner (BRA)

M O S A I C O
Francisco Huguet

Harmonias Arquitetônicas
pauloZ (BRA)

————————————-
Abertura em 21.09 as 19h
Visitação: de 25 a 29 de setembro
ter à sex 15h as 19h
sábado (29) 10h-14h

11 AGOST | SINÉAD O’DONNELL

O AT|AL 609- lugar de investigações artísticas tem o prazer de convidar à todos para o processo de Residência Artística da artista Irlandesa Sinéad O’Donnell.
Seu trabalho explora identidade, fronteiras e barreiras através de encontros entre territórios. Ela configura ações ou situações que demonstram complexidades, contradições ou semelhanças entre meio e disciplina, tempo e espontaneidade, intuição e metodologia, artista e público. Ela usa fotografia, vídeo, texto e colagem para gravar suas performances.
Ela costuma usar seu corpo para investigar suas próprias fronteiras, particularmente em relação às restrições impostas às mulheres. Apesar de deliberadamente evitar a sensacionalização do corpo, seus trabalhos frequentemente promovem fortes reações e emoções.

Bate-Papo com a artista: Sábado | 11 de Agosto | 14:30hrs
Workshop : Segunda, Quarta e Quinta | 13, 15, 16 de Agosto | 19h-22hrs investimento R$20,00
Finalização | Abertura | 24 de Agosto | 19hrs

mais informações: lugardeinvestigacoes@gmail.com

Sinéad O’Donnell é artista multimedia, trabalha com performance, instalação e site specific. Com sede em Belfast, Sinéad estudou escultura na Universidade de Ulster, têxteis em Dublin e performance visual e prática baseadas no tempo na Dartington College of Arts. Ela foi artista principal e curadora de uma comissão “Unlimited” intitulada “CUIDADO” como parte do London 2012 Festival. Atualmente é artista do Flax Arts Studios, em Belfast, na Irlanda do Norte.

A prática de Sinéad é nômade e as viagens ampliaram suas percepções culturais e influenciaram suas sensibilidades artísticas em relação ao tempo e ao espaço. Ela está ativa na cena de arte performática de Belfast, trabalhando com organizações locais para promover a atividade de arte performática e apoiar artistas emergentes em sua comunidade. Curadoria de artistas, intercâmbios, projetos e exposições entre Irlanda do Norte e Canadá, Chile, Croácia, Alemanha, Guatemala, República Dominicana, Irlanda, Japão, Iraque, Montreal, Peru, região da Transilvânia, Romênia, Escócia, Sérvia, Cingapura, Tailândia, Polônia, Peru , Montreal e EUA

Trabalhos recentes foram apresentados no NIPAF, Japão, 2018, Mobius, Boston, 2017 ‘Histórias do Futuro, Kilmainham Goal, Dublin, Irlanda (2016),’ ‘TIPA’, é arte performática, Centro de Artes Visuais Peacock, Aberdeen, Escócia (2015 ), ‘Art of the Lived Experiment’, Bluecoat, Liverpool, Reino Unido, ‘Voices Travel’, Museu de Belas Artes de Kaohsiung, Taiwan (2014), ‘Asiatopia’, Centro Cultural e Artístico de Bangkok, Tailândia (2013), Museu de Arte Contemporânea Arte, Zagreb, Croácia, (2013), Golden Thread Gallery, Belfast, Irlanda do Norte, (2012), Southbank Centre, Londres (2012).

Conselho de Artes da Irlanda do Norte, British Council, Arts & Humanities Research Council, ArtsAdmin, Arts & Disability Ireland Award, ‘iDA’ Individual Artista com deficiência e Socrates Erasmus são alguns dos órgãos financiadores em sua trajetória.